Quarta-feira, 17 de Junho de 2009

Na Lituania com saudades da Nave (contrastes)

Na Lituania mais propriamente em Vilnius, com saudades da Nave e dos meus da Nave. 

 

 

A  mão do artista no rio Neris

 

A  mão da natureza na Nave

 

 

publicado por naveserra às 12:09

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 9 de Junho de 2009

A Nave Mulher

 

A Nave expõe sem pudor as suas entranhas às mãos do grande escultor. Pacientemente aguarda que lhe dê formas, que a arredonde, que a torne feminina! A Nave é mulher!

Tem formas de mulher! É suave, curvilínea, protectora...

publicado por naveserra às 16:51

link do post | comentar | favorito

A Nave Vaidosa

 

Invariavelmente e sem mostrar qualquer sentimento de desânimo ou descontentamento, todos os anos a Nave se veste com roupagens coloridas. Começa por aparecer de um verde prado discreto das herbáceas que dormiram o sono do frio. Tempos depois muda para o roxo sensual da cor das urzes, e finalmente finais de Maio, principio de Junho, apresentasse majestosamente vestida do amarelo das giestas, como se quisesse prestar homenagem ao pai Sol, principal responsável e obreiro de tanta vaidade.  

 

 

Luís Veiga Leitão

 

 Filho do povo criado nas alturas
com pinheirais em torno e um vento cru
rachando a solidão das fragas duras
que nos tratam por tu.
Daí
esta sede saibrosa que nos cresta
(nem sei ó meu irmão como tu medras)
Daí
esta fome surda de giesta
comendo a terra das próprias pedras
Filha dos montes que não tem nome
e pastora de um corpo a ver que o rebanho
do tempo breve come.
Um relâmpago a tua formosura.
 
In Dispersas

 

publicado por naveserra às 16:33

link do post | comentar | favorito
Domingo, 7 de Junho de 2009

Aquilino e o Homem da Nave

«Eu, sou um artista rude, filho da minha terra. Nasce-se com o berço às costas como uma geba. A beira Alta não tem símile no Mundo. Em poucas dezenas de quilómetros reproduz-se a terra toda: amenidade e braveza, a colina e o vale, a civilização e a selvajaria. À volta da aldeia onde ergui a minha barraca, no Inverno uivam os lobos ao desafio com o vento. Bela fanfarra! Na Primavera alteiam-se do solo, pelos caminhos trilhados, flores que a botânica dos sábios não teve ocasião de descobrir.»

 

 

 

publicado por naveserra às 22:44

link do post | comentar | favorito

A mão calejada do homem da Nave

 

Muros, cuja técnica de construção se admite remontar ao tempo dos Celtas.

Este tipo de muros, aparecem em todo o nordeste de Portugal e pouco abaixo do rio Douro.

 Estudos recentes referem que os Celtas provavelmente não se aventuraram muito para lá deste limite.

publicado por naveserra às 22:30

link do post | comentar | favorito

A mão invisível da natureza

 

 

 

 

 

publicado por naveserra às 22:29

link do post | comentar | favorito

Saudades das noites frias que nos aconchegam a alma

 

 As tempestades, o nevoeiro, a neve, são coisas que por vezes te atrapalharão. Nessa altura, pensa em todos os que as conheceram antes de ti, e diz simplesmente: o que os outros conseguiram também eu hei-de conseguir.
(Saint-Exupéry, Terra dos Homens)

 A Neve

A neve pôs uma toalha calada sobre tudo.
Não se sente senão o que se passa dentro de casa.
Embrulho-me num cobertor e não penso sequer em pensar.
Sinto um gozo de animal e vagamente penso,
E adormeço sem menos utilidade que todas as ações do mundo.

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"
Heterónimo de Fernando Pessoa

 

publicado por naveserra às 22:02

link do post | comentar | favorito

Tétis a Deusa das águas é rainha na neve da Nave

 

 

 

 

publicado por naveserra às 21:30

link do post | comentar | favorito

Porquê o naveserra?

Tarde de um domingo de Junho chuvoso! Ocupei grande parte da tarde a preparar material para uma acção a decorrer sobre Desenvolvimento Sustentável. Parei para ir votar (ainda faço parte da pequena minoria, para quem votar para além de um direito é um dever), de volta ao trabalho dou por mim a pensar numa forma de envolver o maior número de pessoas à  volta da minha Serra e do que é verdadeiramente importante para ela em termos de desenvolvimento sustentável. Se melhor o pensei, mais rápido o executei - criar um blog. Pesquisei na net e cá estou eu pronta a entrar com a minha Serra na blogosfera. Não sei o que daqui vai sair.Aliás, nem sei se sairá alguma coisa! Vamos ver! Pelo menos tentei!

publicado por naveserra às 20:07

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Em terra de Lobos

. Nascer do sol na Nave

. Consórcio Ventinveste res...

. Construção do Parque Eóli...

. Caminhos da nave

. Penedo do Lagarto

. Quercus apresenta ...

. O parque e o lobo

. Câmara e juntas de fregue...

. Parque Eólico do douro Su...

.arquivos

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds