Domingo, 9 de Agosto de 2009

Nave

 

Não é minha, não é tua

Nem de quem a agarrar

A linda serra da Nave

É de quem a sabe apreciar.

 

Apreciar seus encantos

Ver a obra da natureza

Que em cada um de nós prevaleça

A sua protecção e defesa.*

 

És Nave de ar puro

De silêncio e beleza

Da urze e da giesta

Da simplicidade e rudeza..

 

És Nave de penedias

De  água fresca a jorrar

De aromas inebriantes

De quadros por pintar.

 

 Modesta Figueiredo

publicado por naveserra às 17:39

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Em terra de Lobos

. Nascer do sol na Nave

. Consórcio Ventinveste res...

. Construção do Parque Eóli...

. Caminhos da nave

. Penedo do Lagarto

. Quercus apresenta ...

. O parque e o lobo

. Câmara e juntas de fregue...

. Parque Eólico do douro Su...

.arquivos

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds